terça-feira, 12 de março de 2013

Fada Madrinha Feminista


Confesso que há um pouco de radicalismo aí e eu também não quero passar de escrava do lar para escrava do capitalismo, mas devo confessar que tenho orgulho de ter nascido nesta época. 
Dependência emocional é triste, mas dependência financeira é ainda pior.

Um comentário:

Mari disse...

Parar de trabalha? Nunca!

www.vaidosaetodaprosa.com.br