sexta-feira, 19 de março de 2010

Desembrulhar-me

Procuro despedir-me do que aprendi
Procuro esquecer-me do modo de lembrar que me ensinaram, 
E raspar a tinta com que me pintaram os sentidos, 
Desencaixotar as minhas emoções verdadeiras,
Desembrulhar-me e ser eu.
 (Fernando Pessoa)




Pessoa escreveu isso em mil novecentos e guaraná de rolha... Como pode ser tão atual? Será mesmo que as inquietações humanas não mudam?!


Sermos nós mesmos, sabendo conviver com o nosso melhor e o nosso pior, independente dos julgamentos alheios... Expor nossas emoções da maneira mais sincera e honesta possível... Desapegar-se do passado, abrir-se para o novo,  deixando chegar o que vem e  abandonando de vez aquilo que se vai... É tão difícil assim se expor? Por que esse medo de se mostrar???

3 comentários:

da Senhorita Balzac. disse...

Oi Gabi,

obrigada por entrar no meu blog! Fico feliz que você tenha gostado. Também gostei bastante do seu. Amo o Pessoa e esses versos dele são lindos.

Vamos nos visitar na blogosfera, então. ;-) Beijos!

Júlia M. disse...

Tem ente que não tem esse medo todo... estamos na era da superexposição, na verdade. Vide BBB, essa onda de emos, etc.

Talvez seja algo superficial, mas de qualquer forma... é um modo de se expor...

Marcos Andrade disse...

Cheguei até aqui através do "Geleia Geral". Adorei esse seu blog, seu ótimo gosto literário, seus "pitacos", seu jeito de enxergar a vida, suas cores, seu perfume... enfim, estou te seguindo!

Posso? rsrs...

Beijos, querida, bom te conhecer!