segunda-feira, 20 de junho de 2011

Decifra-me



Trago lágrimas, sorrisos, histórias, abraços... trago momentos felizes, momentos de decepção. Carrego pessoas, amores e desamores, amigos e inimigos, desafetos, paixões... Não sou um livro aberto, mas também não tão fechado que você não consiga abrir, basta ter jeito, saber tocar as páginas, uma a uma, e descobrirá de que papel é feito cada uma delas...
[Caio Fernando Abreu]


Caio sempre me decifrando, gente! Quando li esta frase me identifiquei, pois para mim a vida é feita por pequenos momentos que geram emoções que serão lembradas posteriormente. Afinal de contas, só temos saudade do que é bom... é o rastro que a felicidade deixa, né?!

Não posso afirmar se é idealismo ou utopia minha, mas acredito que não preciso de muito para ser feliz... Apenas encontrar pessoas que caibam no meu mundo, nos meus sonhos, que caminhem ao meu lado nos momentos bons e ruins, e que, principalmente, tenham essência para que possam decifrar as histórias do livro da minha vida...

Não to curtindo racionalizar meus sentimentos, pois cheguei à conclusão de que é melhor arrepender-se por ação do que por omissão... Caso contrário acabaremos arrependidos por palavras não ditas e atos não realizados, portanto, jogue-se na vida e leve no final só o que for bom... 

E quer saber?! O que eu mais quero é ser feliz!!!

Um comentário:

Jowglas disse...

E pode crer que está sendo, Gabi! Pelo menos sou feliz por te ter como amiga! Bjo