segunda-feira, 30 de março de 2009

Relato de uma Professora de Matemática

Semana passada comprei um produto que custou R$ 1,58. Dei à balconista R$ 2,00 e peguei na minha bolsa 8 centavos, para evitar receber ainda mais moedas. A balconista pegou o dinheiro e ficou olhando para a máquina registradora, aparentemente sem saber o que fazer. Tentei explicar que ela tinha que me dar 50 centavos de troco, mas ela não se convenceu e chamou o gerente para ajudá-la. Ficou com lágrimas nos olhos enquanto o gerente tentava explicar e ela aparentemente continuava sem entender.

Por que estou contando isso? Porque me dei conta da evolução do ensino de matemática desde 1950, que foi assim:

1. Ensino de matemática em 1950:
Um cortador de lenha vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção desse carro de lenha é igual a 4/5 do preço de venda .
Qual é o lucro?

2. Ensino de matemática em 1970:Um cortador de lenha vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção desse carro de lenha é igual a 4/5 do preço de
venda ou R$ 80,00.
Qual é o lucro?

3. Ensino de matemática em 1980:
Um cortador de lenha vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção desse carro de lenha é R$ 80,00.
Qual é o lucro?

4. Ensino de matemática em 1990:Um cortador de lenha vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção desse carro de lenha é R$ 80,00.
Escolha a resposta certa, que indica o lucro:
( )R$ 20,00 ( )R$40,00 ( )R$60,00 ( )R$80,00 ( )R$100,00

5.. Ensino de matemática em 2000:Um cortador de lenha vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção desse carro de lenha é R$ 80,00.
O lucro é de R$ 20,00.
Está certo?
( )SIM ( ) NÃO

6. Ensino de matemática em 2009:
Um cortador de lenha vende um carro de lenha por R$100,00.
O custo de produção é R$ 80,00.
Se você souber ler coloque um X no R$ 20,00.
( )R$ 20,00 ( )R$40,00 ( )R$60,00 ( )R$80,00 ( )R$100,00

5 comentários:

Biel, o Bardo disse...

Nossa senhora dos operadores de caixa, olhai por eles!!

Barbara Bastos disse...

Adorei!
Todos deveriam ter consciência da involução na estrutura do ensino. Isto vc soube retratar muito bem. Falta muito coisa para sermos excelência em estudo e formação. Para as forças ditas superiores (quem manipula as massas) nunca será conveniente ensinar o povo a pensar. É bem melhor alienar em massa. Bem, Ziraldo é quem está certo: "Se seu filho só lê quando está na internet, então ele vai ser motorista de caminhão na internet."
Mil beijos
Barbara

Mari disse...

Brabo, você quem escreveu?

Rafaela. disse...

Fiquei sem palavras! Mas de coração, eu passo mal com matemática, detesto tudo que esteja ligado aos números e vou sair do colégio sem saber quase nada! rs
Mas entendi a moral da história e confesso que está cada vez mais difícil encontrar pessoas que façam jus ao estudo, ou que tenham algum!
Uma ótima tarde pra você.

Ana Gabi disse...

O texto não é de minha autoria não, eu o li em uma comunidade no orkut sobre professores.

Acredito que a autoria seja desconhecida, pois é um desses textos que circulam pela internet.

Mas enfim, postei porque como professora aturante sei bem do que se trata. Concordo em gênero, número e grau.

E olha que eu sou meio lentinha pra matemática, hein?!